Agenda para o futuro: renovações e mudanças

Agenda para o futuro: renovações e mudanças
13/09/2017

No dia 8 de agosto, nosso CEO, Paulo Oliveira, participou do evento Brasil Futuro, promovido pela Consulting House, no Hotel Unique, em São Paulo. O evento contou com uma palestra do Exmo. Ministro do Supremo Tribunal Federal, Dr. Luís Roberto Barroso, sobre o tema: “O Momento Institucional Brasileiro e uma Agenda para o Futuro”.

A abordagem do Ministro registrou que o Brasil fez grandes conquistas durantes esses últimos 30 anos de democracia. Entre elas, a “estabilidade monetária”. Apesar disso, ele destacou que em meio a escândalos, em diversas áreas econômicas e políticas, criou-se uma onda de pessimismo, culminando com o momento institucional preocupante que estamos vivendo no país. Mesmo assim, apesar da crise, há motivos para sermos otimistas. O país obteve resultados relevantes no campo da inclusão social, com vitórias sobre a miséria – mais de 30 milhões de pessoas deixaram a linha da pobreza absoluta nos últimos anos.

Segundo ele, planejar uma boa agenda para o futuro pode ser uma das estratégias para ajudar a tirar o país desta situação. Para Barroso, é preciso estruturar essas atividades com base em um tripé: democracia, livre iniciativa e distribuição de riquezas. O primeiro capítulo da agenda é a valorização da iniciativa privada. “Ainda há preconceitos e desconfianças nesta área. Precisamos associar a livre iniciativa a itens como inovação, competição, empregabilidade e melhor geração de riquezas”, afirmou.

Conforme opinião de Paulo Oliveira, “felizmente o Brasil tem em seu quadro homens como o Ministro Luís Roberto Barroso, que se preocupam de fato com os problemas que estamos enfrentando e enxergam o futuro de forma positiva, posicionando-se claramente e defendendo as reformas necessárias – inclusive a política – para termos um país viável e competitivo no cenário internacional. As discussões entre os empresários e dirigentes que participaram do evento foi bastante produtiva, colaborando para a criação de uma expectativa otimista em relação à recuperação gradual da economia e ao futuro, se avançarmos em direção às reformas”.