Conceitos e fundamentos da Lean Production aplicados na construção, através do Lean Construction

Conceitos e fundamentos da Lean Production aplicados na construção, através do Lean Construction
15/04/2019

Tenho escrito sobre a pré-construção e sua relevância para o sucesso na etapa de produção das edificações, explorando várias ferramentas aplicadas nos setores mais desenvolvidos da indústria. Neste contexto, a busca pela eficácia e pela produtividade naturalmente conduzem à industrialização da construção, como resposta necessária e evidente à transformação do setor da construção em indústria, reduzindo gradualmente o gap em relação aos setores mais produtivos da indústria.

 

Um olhar para o futuro necessariamente parte da inelasticidade existente hoje entre o investimento de recursos financeiros e a capacidade de entrega do setor. Em todos os booms registrados no setor, esta lição parece não ter sido aprendida, com fundos de investimento aportando recursos consideráveis em incorporadoras e construtoras, impondo às mesmas um aumento substancial no volume de entregas, com resultados desastrosos ao longo da  cadeia de valor e da “linha de produção”, que não consegue entregar a quantidade de unidades e muito menos produtos com qualidade planejada. Isso se deve à insuficiência de mão de obra em períodos de maior nível de demanda e ao baixo nível de inovação e tecnologia ainda aplicado no setor de construção e, sobretudo, à falta de bons processos de pré-construção, incluindo ferramentas robustas de planejamento, controle, logística e suprimento, aliados ao baixo nível de industrialização na etapa de produção.

 

A melhoria de processos e a maior exploração da mecanização, da industrialização e de componentes modulares, com maior volume de atividades controladas e racionalizadas off-site, resultam em fluxos de produção mais contínuos e operações de montagem de velocidade incomparável à construção tradicional on-site. Há uma infinidade de exemplos disponíveis no YouTube, mostrando prédios de vários andares sendo montados em poucos dias.

 

A verdade é que para partirmos para a industrialização de forma mais contundente e diligente, precisamos rever e redesenhar processos, também à luz do que se fez na indústria, a partir de sistemas de gestão da produção desenvolvido com base em conceitos e ferramentas Lean Thinking.

 

Assim como os sistemas de garantia da qualidade, o Lean Production surgiu no Japão, na Toyota, através do Toyota Production System (TPS). O conceito abrange toda a cadeia de valor, incluindo os fornecedores de matérias primas e componentes, com o objetivo de reduzir perdas e desperdícios de qualquer natureza, para implementar uma produção “enxuta” (Lean), através de um fluxo contínuo deste o pedido até a entrega ao cliente, com qualidade.

 

No setor de construção, certamente há dificuldades impostas pelas características únicas e exclusivas da maior parte dos projetos, da falta de padronização e de escala. Mas a verdade é que ao invés de enxergarmos isso como um obstáculo, deveríamos explorar melhor a oportunidade existente por trás desta dificuldade para alterarmos o paradigma na gestão de projetos e na construção, estabelecendo um novo modelo que permita a integridade da produção, o que certamente sugere um esforço maior de gestão e controle de processos, ao longo de toda as etapas e da cadeia de valor. Dentro deste contexto, o Lean Construction ou Construção Enxuta foi criado, embasado nos mesmos princípios da Lean Production estabelecidos pela Toyota.

 

Uma vez que as diferenças entre o ambiente de produção no setor da construção em uma fábrica são expressivas, a competência em planejamento, além de controles eficazes de produção são fundamentais para a implementação do Lean Construction. Contudo, isso não basta, já que toda a empresa e a sua cadeia de valor precisam passar por mudanças profundas na forma de pensar e agir, exigindo o estabelecimento de cultura Lean. Os processos, práticas, atitudes e valores têm que ser orientados para a busca da máxima eficácia e fluxos contínuos, com tolerância zero aos desperdícios (de tempo, pessoas e recursos), buscando o menor lead time (tempo entre o pedido do cliente e a entrega do produto a ele) e uma operação que se enquadre no conceito just-in-time (sistema de administração da produção em que tudo deve ser produzido, transportado ou comprado na hora exata, reduzindo estoques e os custos).

 

Organizações como o Lean Construction Institute https://www.leanconstruction.org/) trabalham para fomentar e disseminar os conceitos e as melhores práticas, disponibilizando artigos e vídeos e explorando práticas tais como o Lean Integrated Project Delivery. É interessante observar que o Integrated Project Delivery  é um conceito bem aceito e explorado há anos pelas melhores práticas no emprego dos processos do Building Information Modeling (BIM).

 

Princípios do Lean

 

 

Atenção especial deve ser data à logística e ao supply chain, buscando a excelência na movimentação e transporte de materiais e a disponibilização da quantidade de materiais e componentes necessária e suficiente nas frentes de produção para que não haja paralização ou espera.

 

Um projeto de canteiro inteligente também é essencial, garantindo menores distâncias e tempos de deslocamento, além do armazenamento e controle do estoque de materiais a serem empregados na produção, sempre evitando excessos, já que o estoque sempre mobiliza quantidade expressiva de capital.

 

Nas frentes de produção, também é importante reduzir ao máximo o deslocamento dos operários e capacitá-los para realizar suas tarefas entendendo a relevância da produtividade e das metas estabelecidas pelo planejamento, sem abrir mão da qualidade, já que o retrabalho sempre gera perda de tempo, desperdício de materiais e custos adicionais. Envolver a equipe na discussão das atividades a serem desempenhadas, dando liberdade para que possam opinar e propor formas mais criativas e produtivas de realizar o trabalho também é uma ótima prática. Isso sempre deve ser feito conforme os princípios da produção enxuta, objetivando um fluxo contínuo, a redução de desperdícios e a economia de tempo e de recursos.

 

 

Apesar das vantagens e da relevância do emprego do Lean Construction, há também insucessos no seu emprego em canteiros de obra. Geralmente estes insucessos estão relacionados a formas insatisfatórias de implementação dos conceitos e ferramentas nos canteiros de obra, muitas vezes por falta de uma visão sistêmica e de uma implantação ampla.

 

Várias são as ferramentas úteis na prática do Lean, também amplamente utilizadas na pré-construção, tais como: Engenharia e Análise do Valor (EAV), Engenharia Simultânea, Strategic Sourcing e Target Costing, além de outras ferramentas já inerentes aos sistemas de garantia da qualidade, para a reduzção defeitos e da variabilidade na produção, controlando a produção e os processos mais relevantes, ao longo da cadeia de valor, de forma inteligente.

Obs.: Strategic Sourcing é uma metodologia que analisa o custo total de aquisição de cada produto ou serviço através de seu mapeamento, entendimento e avaliação das especificações, níveis de serviço e de seu mercado fornecedor, objetivando compreender todos os custos e fatores que afetam o produto final, possibilitando um maior potencial de redução de custos e aumento de desempenho da cadeia produtiva.

Também de forma análoga aos sistemas de garantia da qualidade é relevante praticar a melhoria contínua de processos e implementar sessões estruturadas de lições aprendidas, além do benchmarking (processo de comparação feita entre produtos, serviços, processos e práticas empresariais entre diferentes empresas), identificando novas oportunidades de melhorias a serem implantadas para obter desempenho superior.

 

Sobre o autor

Paulo Oliveira – Engenheiro Civil, MBA Executivo Internacional e Especialização em Gestão Estratégica pela FIA/USPProject Manager Professional (PMP) pelo Project Management Institute (PMI). Palestrante em congressos nacionais e internacionais, com mais de 50 trabalhos publicados. Professor do Curso de MBA Profissional do IPT. Atualmente é Diretor Executivo e CEO da Mutual Engenharia e Construções.

Contato: psfoliveira@uol.com.br / paulo.oliveira@mutual.com.br